quinta-feira, 24 de dezembro de 2020

>>> BOAS FESTAS!

Feliz Natal e um Próspero Ano Novo!

 

quarta-feira, 23 de dezembro de 2020

>>> IMAGEM DA SEMANA

 

2014 BMW Série 2 Active Tourer

***

terça-feira, 22 de dezembro de 2020

>>> PRODUTO EXPORTAÇÃO


Como Volkswagen Kombi disparou de preço e já chega a custar R$ 120 mil

No primeiro fim de semana de dezembro, uma Kombi 1969 Corujinha foi leiloada por R$ 118 mil na capital paulista. Esse é só um exemplo da valorização que o veículo utilitário tem alcançado ao longo dos últimos cinco anos, não apenas no mercado nacional de clássicos colecionáveis. Conforme apuração da reportagem, o exemplar branco restaurado e customizado com vigias no teto, seguindo o estilo californiano, será enviado para fora do Brasil. Sim, é isso mesmo: a velha Kombi, produzida aqui até o fim de 2013, virou produto de exportação.


Segundo Joel Picelli, da Picelli Leilões, responsável pelo arremate, o interesse estrangeiro pela Kombi brasileira ajuda a explicar os preços cada vez mais altos do clássico. "Meia década atrás, aproximadamente, uma Corujinha em bom estado e sem restauração saía por menos de R$ 20 mil. Hoje, Kombis dessa época nas mesmas condições não custam menos do que R$ 80 mil", diz o leiloeiro. De acordo com Picelli, as Kombis mais cobiçadas e caras são mesmo as Corujinhas, ou seja, fabricadas até o modelo 1975. Ele conta que em outro leilão, realizado em Águas de Lindóia (SP) no ano passado, uma unidade 1975 Luxo raríssima de seis portas teve oferta de R$ 132,5 mil - porém, o dono não quis passá-la adiante por esse valor.

"Aumentou bastante o interesse de negociantes e colecionadores estrangeiros pela nossa Kombi. Com isso, os preços começaram a subir. Ainda tem muitas rodando no Brasil, enquanto na Europa o modelo clássico deixou de ser fabricado na década de 70", contextualiza. Picelli destaca que a desvalorização do real tem ajudado a jogar os preços lá em cima, considerando que os clientes "gringos" têm renda em euros ou dólar. Nos Estados Unidos, diz, um exemplar parecido com o leiloado no fim de semana passado, porém 100% original, custa em torno de US$ 200 mil (R$ 1,02 milhão no câmbio de ontem). Em 2017, uma Kombi 1965 atingiu lá fora a impressionante soma de US$ 302 mil (R$ 1,55 milhão), afirma. 


Especializado em garimpar carros nacionais antigos originais e pouco rodados, o negociante Reginaldo Ricardo Gonçalves, o Reginaldo de Campinas, concorda com Picelli a respeito do aumento no interesse pela Kombi brasileira para "exportação". "A maior procura é mesmo pela Corujinha. Na Europa, restam poucas unidades em bom estado. Lá neva e eles usam sal para derreter o gelo na estrada. Daí, apodrece tudo. Além disso, importar do Brasil é barato para quem tem moeda forte, mesmo com todas as taxas e impostos. R$ 100 mil correspondem a pouco mais do que 16 mil euros, por exemplo", esclarece Reginaldo.

Joel Picelli elenca outros fatores, fora o câmbio e a escassez de Kombis antigas em outros mercados, que justificam a escalada nos preços - inclusive no mercado interno. Ele aponta a facilidade de restauração, a grande disponibilidade de peças e um fator intangível: a ligação afetiva com a velha Kombi. "A Kombi também é moda no Brasil. É um veículo que passou pela vida de muita gente em algum momento, seja como transporte escolar, seja como veículo de trabalho. E existem opções para todos os bolsos e gostos, custando de R$ 10 mil até mais de R$ 100 mil. Ainda tem muitas rodando, atendendo desde o sucateiro até o colecionador endinheirado".


Alexandre Badolato, dono da maior coleção de modelos Dodge do Brasil, também guarda espaço em seu acervo, no interior de São Paulo, para o utilitário da Volkswagen. Ele é dono de um exemplar da edição de despedida Last Edition, que adquiriu no fim de 2013 por pouco mais do que R$ 80 mil e está praticamente zerada até hoje. O colecionador estima que hoje poderia vender a sua por aproximadamente R$ 120 mil e diz que, além do fenômeno das exportações, a Kombi tem surfado a alta geral de carros colecionáveis.

"Os preços deram uma explodida. As aplicações financeiras estão retornando uma taxa de juros negativa. O que a Selic paga não repõe a inflação, portanto, há essa busca por ativos como automóveis clássicos. As Kombis já vinham se valorizando por conta da demanda de fora do País e os preços subiram ainda mais", opina. Badolato, porém, faz uma ressalva: "Muitos já mandaram porcarias para fora e 'queimaram o filme', a ponto de eu ter visto anúncios estrangeiros recentes buscando Kombis, porém destacando que não havia interesse nas brasileiras. Claro, existem aqueles que trabalham direito".

* Alessandro Reis/Portal UOL.

>>> SUPERÔNIBUS


Volksbus de 15 metros inicia testes nas ruas de Curitiba/PR

O superônibus Volksbus 22.280 ODS já está nas ruas do Brasil: o veículo acaba de iniciar os testes em condições reais de operação em Curitiba (PR). Esta é a primeira etapa do programa piloto de avaliação do veículo em clientes, que se estenderá para outras cidades do país durante todo o primeiro semestre de 2021. Com a maior capacidade técnica da categoria, esse modelo pode levar 22 toneladas, o que representa cerca de 115 passageiros, e foi projetado para carrocerias de 15 metros de comprimento.


“A novidade passou por rigorosos testes de engenharia e agora chega às ruas no momento certo, oferecendo conforto aos passageiros e ótima relação custo-benefício paras as cidades que estão em processo de renovação de frota”, comenta Jorge Carrer, gerente executivo de Vendas de Ônibus da VW Caminhões e Ônibus.

O Volksbus 22.280 ODS foi projetado para oferecer o melhor custo-benefício, já que reduz o consumo de combustível em relação com outros carros de alta demanda e amplia o conforto e a segurança de passageiros e clientes. 


A novidade traz suspensão pneumática, item fundamental para o conforto a bordo, além da motorização MAN D08 de 277 cavalos e transmissão ZF seis marchas. A receita de sucesso do novo Volksbus 22.280 ODS é o posicionamento do terceiro eixo na dianteira, o que permite que o chassi alcance a capacidade de carga de 22 toneladas e, ao mesmo tempo, possibilite as mais diversas configurações, de acordo com a necessidade da operação.

A família Volksbus é projetada para combinar conforto a bordo e custo-benefício em operações de variadas demandas e sazonalidades, reunindo desde micros até veículos de maior capacidade.

* Press Release/Grupo VWCO.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

>>> VÍDEO DA SEMANA

 

Parada de Natal em Somerville, New Jersey (EUA)

***

>>> HILUX 1986 RESTAURADA


Toyota Hilux Xtra Cab 4X4 1986 foi totalmente restaurada nos EUA

Você está precisando de um verdadeiro guerreiro off-road com uma caçamba em cima do eixo traseiro que não o deixará na mão, não importa o que você faça com ele? Que tal uma Toyota Pickup Xtra Cab 1986 totalmente restaurada?


O
clássico utilitário, também conhecido como Hilux em alguns mercados, é um dos mais reconhecidos no segmento das picapes e, neste caso, passou por restauração total e se apresenta como nova, recém-saída de fábrica.


Oferecida para venda no site da Hyman (conceituada loja de St. Louis, MO) com um preço inicial de U$ 47.500 (aproximadamente R$ 420.000), 
ela ostenta uma cor externa bege muito popular da época e vem com os pneus todo-o-terreno obrigatórios da BFGoodrich, faróis auxiliares no topo da barra de apoio cromada e uma excelente distância do solo. Pelo mesmo preço você leva para casa quase duas picapes Tacomas 2021 básicas ou uma Tundra 2021 bem equipada, mas o que vale mesmo aqui é a paixão pelo estilo oitentista.


A cabine foi meticulosamente refeita, ostentando uma combinação de cores bege e marrom, com toques de tecido e vinil. Além do CD Player MP3 moderno (bem, mais ou menos) montado no console central, você não encontrará muito mais deste século no interior, já que esta picape de 34 anos mantém as comodidades originais, como o aquecedor, isqueiro e soquete de 12V.


O motor de 2.4 litros 22R-E, com injeção de combustível, foi cuidadosamente recuperado durante o processo de restauração e, embora o fornecedor não tenha fornecido os números oficiais, acredita-se nos 105 cavalos de potência e 185 Nm de torque. A unidade de potência funciona em conjunto com uma transmissão automática e tração nas quatro rodas.

***

>>> UTILITÁRIOS PREMIADOS


O Grupo PSA conquista o prêmio “International Van of the Year 2021” (IVOTY) com sua nova geração de furgões compactos elétricos

Desde 2019, todos os novos modelos lançados pelo Grupo PSA oferecem motorizações 100% elétricas ou híbridas plug-in. O objetivo do Grupo é propor uma gama totalmente eletrificada até 2025. Já a gama VUL (Veículos Utilitários Leves) na Europa terá ofertas totalmente eletrificadas para todos os modelos a partir do final de 2021.


Um júri composto por 24 jornalistas e especialistas independentes de 24 países europeus e da Rússia concedeu o prestigioso prêmio “International Van Of The Year 2021” (IVOTY) ao Peugeot e-Expert, Citroën ë-Jumpy, Opel Vivaro- e e Vauxhall Vivaro-e, os primeiros veículos eletrificados da nossa gama VUL.

Como parte de um programa transversal, o novo Peugeot e-Expert, Citroën ë-Jumpy, Opel Vivaro-e e o Vauxhall Vivaro-e foram concebidos para oferecer desempenho sem comprometer a carga útil e o volume de carga para todos os nossos clientes: pequenos empreendedores, empresas e administrações. Esses modelos se beneficiam de uma nova geração de tecnologias e sistemas de assistência à condução, do nosso compromisso com a segurança e o conforto dos clientes.

Após a conquista do troféu IVOTY 2019 com a Peugeot Partner, Citroën Berlingo van, Opel Combo e Vauxhall Combo, essa segunda conquista confirma a relevância da nova geração de VULs do Grupo PSA e sua estratégia de eletrificação.

Jarlath Sweeney, Presidente do júri do IVOTY, comentou a decisão: “Com o seu quarteto, o Groupe PSA lança no mercado europeu os primeiros furgões elétricos com autonomia superior a 300 km. Eles se beneficiam de uma sólida qualidade de produção, com qualidades dinâmicas muito boas, além de um funcionamento silencioso superior. São poucas as diferenças na sensação de condução que esses modelos proporcionam em relação a suas versões a diesel."

“Com essas versões 100% elétricas dos seus furgões, as quatro marcas do Grupo PSA proporcionam um enorme impulso à mobilidade elétrica profissional, promovendo a democratização e a ampliação do transporte de emissão zero. ”

“Os furgões elétricos do Grupo PSA definem novos padrões e trazem sua parcela de progresso. Isso é exatamente o que se exige da “International Van of the Year”. Melhor ainda, cada marca do Grupo PSA desenvolveu versões elétricas de seu veículo, de furgões compactos a minibus, sem comprometer a carga útil ou o volume de carga. "

“O novo quarteto de furgões elétricos leva ainda mais longe o conceito de integração máxima dos modos de propulsão, elétricos ou de combustão interna, com base em uma única plataforma. A sua autonomia se destaca e pode ser um atrativo para todo o tipo de negócios, bem como para entregas. ”

As versões elétricas dos furgões compactos das quatro marcas são produzidas na fábrica de Hordain, no norte da França, e equipadas com conjuntos motopropulsores elétricos montados na fábrica de Trémery, no leste da França. Elas oferecem dois níveis de autonomia: Até 230 quilômetros no ciclo WLTP equipado com uma bateria de 50 kWh ou até 330 quilômetros 3 no ciclo WLTP equipado com uma bateria de 75 kWh.

Comercializados a partir de meados de 2020, 1.300 veículos já foram entregues desde outubro. “O Grupo PSA está muito orgulhoso e feliz por receber o importante prêmio “International Van of the Year 2021” e agradeço calorosamente aos membros do júri. Este prêmio confirma o sucesso dos nossos furgões compactos e a relevância da estratégia de eletrificação que projetamos para nossa linha de VUL, sem comprometer o serviço prestado aos nossos clientes ”, disse Xavier Peugeot, Vice-Presidente Sênior da Business Unit de Veículos Utilitários Leves do Grupo PSA.

O Prêmio “International Van of the Year” foi lançado em 1992. O júri reúne 24 jornalistas e editores de revistas independentes especializadas em VULs.

*Press Release/Grupo PSA.