segunda-feira, 28 de novembro de 2016

>>> VÍDEO DA SEMANA



Uma Kombi com motor de Subaru de 400 cv...

***

>>> RESGATE HISTÓRICO


Restauração do primeiro caminhão
do Corpo de Bombeiros do Ceará

Esse é o primeiro caminhão de combate a incêndio que chegou no Ceará em 1957 . Um Mercedes-Benz, importado da Alemanha, ano 1957, motor OM-315, a diesel de 6 cilindros, câmbio de 4 marchas mais ré.


O modelo equipado com escada telescópica Mertz, esteve em uso de 1957 a 1992 quando foi substituído por um modelo Magirus, mais moderno. Fora de operação, o veículo permaneceu parado por mais de 20 anos, levando sol e chuva , sem manutenção (mais detalhes clicando aqui).

Diante à importância histórica do veículo para a corporação , o velho caminhão passou por uma completa restauração que lhe custou dois anos de muito trabalho artesanal. O veículo teve toda sua mecânica e funilaria restauradas, além da cabine que recebeu atenção especial por ser construída em madeira e ferro.


Hoje a viatura está em perfeito funcionamento. Um caminhão que carrega sua história, dezenas de vitórias em resgates de sucesso que enchem de orgulho o Corpo de Bombeiros do Ceará. O caminhão ficou em exposição na revenda Ceará Diesel e logo após foi feita a entrega oficial para o Corpo de Bombeiros, que pretende ainda construir o Memorial do Bombeiro do Ceará.

* Roberto Moreira/Diário do Nordeste.

domingo, 27 de novembro de 2016

>>> MITSUBISHI ASX 2017


Com novo visual, Mitsubishi ASX
fica ainda mais moderno e arrojado

Compacto e espaçoso, robusto e dócil ao volante, urbano e que gosta de uma trilha. Assim é o Mitsubishi ASX, que chega de cara nova na versão 2017. Produzido na fábrica da Mitsubishi Motors, em Catalão (GO), esse crossover está recheado de tecnologia, comodidade e praticidade, com versões com tração em duas e quatro rodas.


Com visual moderno e arrojado, o novo para-choque ganha um desenho futurista com detalhes em cromado, que invadem os faróis, conferindo charme e personalidade. Reúne as principais características de um SUV, como a posição elevada de dirigir, com o conforto de um carro de passeio.

Por dentro, o ambiente é moderno e harmônico e a nova opção de interior na cor bege, deixa o ASX ainda mais sofisticado. Completo e ideal para toda a família, o ASX é equipado com sistema multimídia, controles de áudio e piloto automático no volante, nove airbags, além de controle de tração e estabilidade. Os bancos são em couro com aquecimento nos dianteiros e regulagem automática no motorista. Se a ideia é ampliar a sensação de liberdade, o ASX oferece a opção com o Sky View, um moderno teto panorâmico que permite ampla visão.


O Mitsubishi ASX tem nota máxima em segurança, e recebeu o selo Top Safety Pick Plus, distinção máxima concedida pelo IIHS (Insurance Institute for Highway Safety), principal instituto autônomo norte-americano de segurança automotiva.

Espaço, Conforto e Praticidade

Um carro pensado para toda a família, repleto de comodidade para o dia a dia. A versão AWD conta com sensor de estacionamento, sensor de chuva e acendimento automático dos faróis, botão Start & Stop, que permite o acionamento do motor com apenas um toque, sistema keyless com sensor de aproximação e espelho retrovisor externo retrátil, que é acionado automaticamente quando o veículo é fechado e faróis de xenôn com regulagem automática e lavador.


Requintado e eficiente, o painel de instrumentos do ASX possui marcadores com aros prateados, iluminação branca e tela LCD colorida de alto contraste, com computador de bordo com 12 funções.

O tamanho compacto facilita as manobras mas, por dentro, tem espaço de sobra graças ao amplo entre eixos, de 2,67 metros. O design com linhas laterais marcantes imprimem leveza, não deixando de lado a ousadia característica deste modelo. Tudo isso foi projetado para que o ASX tenha um baixo coeficiente de arrasto, de apenas 0,33, que garante a máxima potência e economia de combustível.

Tecnologia e Potência

O ASX tem a relação peso/potência de apenas 8.4 kg/cv, o que se traduz em uma condução prazerosa tanto nas cidades, como nas estradas. O motor, produzido no Brasil, é um 2.0L de 4 cilindros e 16 válvulas, com comando variável MIVEC, e 160 cv de potência, que está disponível em todas as versões.


O ASX é construído com estrutura "Ring Type" de alta rigidez, feita com chapas de aço delgadas de alta maleabilidade e baixo peso. No motor, o cabeçote o bloco são feitos em alumínio ultraleve. Todo esse conjunto foi cuidadosamente pensado e contribui para o baixo peso deste crossover, de apenas 1.345 quilos.

A versão automática é equipada com o câmbio CVT (Transmissão de Variação Contínua), com sistema sequencial Sports Mode, e Paddle Shifters posicionados atrás do volante, que permitem a troca de marchas manual, deixando a sensação de dirigir ainda mais prazerosa. Além disso, o câmbio possui o exclusivo INVECS III, que analisa o modo de dirigir de cada motorista, tornando as trocas de marcha muito mais suaves.

O ASX tem sistema eletrônico para acionamento da tração. Com um simples toque no botão localizado no console central, o motorista pode optar por conduzir o veículo em 2WD, para uso urbano e que proporciona mais conforto e economia de combustível; 4WD, para um uso mais esportivo, ideal para pistas sinuosas; e LOCK, que proporciona uma maior segurança em pisos com pouca aderência.

As versões AWD são equipadas com controle de tração e estabilidade (ASC e TCL), que mantêm o veículo na trajetória correta, evitando o escorregamento lateral e atuando em conjunto com o motor e sistema de freios.

Cada item do Mitsubishi ASX foi pensado para tornar a vida ainda mais prática, como o assistente de subidas, Hill Start Assist (HSA). O recurso impede que o veículo ande para trás ou para frente em partidas em rampa, freando automaticamente as rodas e facilitando as manobras.

Praticidade

O interior do Mitsubishi ASX foi cuidadosamente desenhado, mesclando tons pretos com acabamento em prata, que enriquecem ainda mais o design interno e ajudam a criar um conjunto moderno, harmônico e, ao mesmo tempo, muito prático. Agora, há também a opção bege para o interior do veículo, que traz mais requinte e sofisticação.


O amplo porta-malas tem piso rebaixado, que facilita na hora de colocar e retirar as bagagens. E ainda há um espaço abaixo do piso, que não fica visível, para armazenar pequenos objetos. Ao todo, são 605 litros de capacidade.

Os bancos com couro dianteiros têm aquecimento e o do motorista conta com ajuste elétrico, um conforto a mais para o dia a dia.

Os bancos traseiros têm apoios de cabeça individuais e podem ser rebatidos parcialmente ou totalmente. A parte central conta com apoio de braço e abertura pass through, com fácil acesso ao porta-malas para pegar pequenos objetos. Ao todo, nove luzes de cortesia estão distribuídas no interior do ASX, que tem ainda três porta-mapas e seis ganchos para carga.

Conceito Máximo Em Segurança

Um dos destaques do ASX está na segurança. O veículo traz a tecnologia para proteção de pedestres, com para-lamas dianteiros em material plástico (Noryl) que ajuda a reduzir eventuais impactos. A estrutura é projetada sob o conceito RISE de deformação controlada e a coluna de direção e pedais de freio são colapsáveis. O ASX é equipado com sistema de freios ABS com EBD (Electronic Brake-force Distribution), que garante uma perfeita distribuição de força de frenagem entre as rodas dianteiras e traseiras, em todas as situações.


Alinhado a este conjunto estão a suspensão dianteira independente McPherson, molas helicoidais, barras estabilizadoras e suspensão traseira multilink, que garantem ao condutor maior controle do veículo, além de uma condução suave em terrenos irregulares. As rodas são de liga leve 18", projetadas especialmente para o ASX, e que utilizam um pneu de perfil 55.

A proteção para os passageiros é completa. Ao todo, são nove airbags: dois frontais para motorista e passageiro, dois nas laterais, quatro de cortina e um de joelho, exclusivo na categoria. Os ocupantes contam ainda com cintos de segurança dianteiros com limitador de força e assentos e encosto de cabeça protegidos do efeito "chicote".

O Mitsubishi ASX 2017 está disponível nas concessionarias Mitsubishi em todo o País, tem três anos de garantia e a MitRevisão com preço fixo.

* Press Release/Mitsubishi Motors.

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

>>> LINK DA SEMANA


Quantas Kombis foram produzidas em território nacional? A resposta está no link acima...

***

>>> WILLYS PICAPE


Willys Pick-Up Jeep / Ford F-75: Nascida nos EUA, a picape desbravou os piores caminhos no Brasil com valentia e competência por mais de duas décadas

EUA/1948
Herói da Segunda Guerra, o Jeep tornou-se um desbravador de caminhos em tempos de paz, levando o progresso a regiões inóspitas. O sucesso da versão civil desenvolvida pela Willys deu origem a duas variantes, muito apreciadas por trabalhadores, fazendeiros e famílias com espírito aventureiro: a perua fechada Jeep Station Wagon e a caminhonete Jeep Truck.

Em 1946, chegaram ao país os primeiros Jeep, cujo sucesso resultou na fundação da Willys-Overland do Brasil, em 1952. Logo, a Station Wagon saía da fábrica de São Bernardo do Campo (SP), depois rebatizada de Rural Willys.

A Rural ganhou personalidade em 1960: uma reestilização encomendada nos EUA pela filial brasileira lhe conferiu uma identidade própria, bem diferente das versões de outros países. O resultado final era tão bom que foi incorporado pela Pick-up Jeep: apresentada no Salão do Automóvel de 1960, nada mais era que a versão brasileira da Jeep Truck, ainda produzida em seu país de origem.

Seu índice de nacionalização chegava a 98%, graças à fundição do bloco do motor BF-161 em Taubaté. O B era de brasileiro e o F era devido ao esquema de válvulas de admissão no cabeçote e de escapamento no bloco. O numeral 161 descrevia a cilindrada em polegadas cúbicas: 2.638 cm3, que rendiam parcos 90 cv. Com seis cilindros em linha, foi o primeiro motor inteiramente fabricado no país.


Comparada à Rural, o entre-eixos era 34 cm maior e o eixo traseiro, 10 cm mais largo. Apoiavam uma generosa caçamba capaz de carregar 750 kg. Era a picape mais barata e versátil: a 4×2 competia com Ford F-100 e Chevrolet 3100, enquanto a 4×4 reinou até a chegada da picape Toyota Bandeirante. E foi a pioneira na oferta da primeira marcha sincronizada.

O sistema elétrico logo evoluiu de 6 para 12 volts e, pouco tempo depois, o dínamo deu lugar ao alternador. A versão 4×2 recebeu uma suspensão dianteira independente com molas helicoidais em 1965, baseada na do sedã Aero Willys. Outro avanço notável foi a nova transmissão manual de quatro marchas, com alavanca na coluna de direção – a tração 4×4 e a reduzida eram acionadas por uma outra alavanca embaixo do painel.


Rústica, sua direção tinha folga, era pesada e exigia muitas voltas de batente a batente. A instrumentação se resumia ao essencial: velocímetro, marcador de combustível e temperatura do motor. Não havia ventilação forçada: uma tomada de ar basculante captava ar fresco entre o capô e o para-brisa.

Mas nem mesmo essa falta de conforto foi capaz de minar seu sucesso. A liderança do segmento veio em 1966, com mais de 50% das vendas. Para reduzir o consumo, a calibração do carburador era revista e havia a opção da roda-livre para eliminar o arrasto desnecessário da tração dianteira.


Em 1968, surgiu o motor Willys 3000, com 3 litros de cilindrada e 132 cv. Nesse período, o controle acionário da Willys foi assumido pela Ford, que rebatizou o utilitário de acordo com a sua linhagem. O Pick-up Jeep se chamava agora F-75.

A Ford usou a planta de Taubaté para produzir novos motores para o mercado local e de exportação. Em 1975, o velho motor de seis cilindros em linha foi finalmente substituído por um menor e mais moderno, com quatro cilindros e comando de válvulas no cabeçote com fluxo cruzado. Com 2,3 litros de cilindrada, rendia 91 cv e chegou até a ter uma versão movida a álcool em 1980.

Propaganda do modelo 1965

Decana, a valente picape deixou de ser produzida em 1983, para desgosto de seus entusiastas, como o empresário Pedro de Souza Neto, proprietário deste modelo 1965 que integra o acervo da PJS Restaurações Especiais. Para seus fãs, nenhuma outra picape apresentou tanto carisma e competência para as agruras do fora de estrada.

* Felipe Bitu/Quatro Rodas.

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

>>> SUPERARTICULADO


Mercedes-Benz do Brasil lança na FetransRio o
maior ônibus superarticulado para BRT do mundo

A Mercedes-Benz do Brasil lança oficialmente no mercado uma versão do chassi O 500 MDA HD (Heavy Duty) para ônibus superarticulados com maior capacidade, para mais de 220 passageiros. Esta é a grande atração da marca na FetransRio 2016, a maior feira do segmento de ônibus no Brasil, que acontece entre os dias 23 e 25 de novembro na cidade do Rio de Janeiro.


“Trata-se do maior superarticulado para sistemas BRT e o maior articulado da marca Mercedes-Benz no mundo”, diz Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas, Marketing e Peças & Serviços Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil. “Este novo superarticulado está à venda e já opera no maior BRT do Brasil, do Rio de Janeiro, sistema que foi utilizado por cerca de 11,7 milhões de pessoas durante os Jogos Olímpicos neste ano, e que é o principal legado de mobilidade urbana para a população da cidade e para o grande número de turistas que a visitam anualmente”.


“Estamos, agora, expondo o novo chassi O 500 MDA na FetransRio”, ressalta o executivo. “Esta é mais uma solução totalmente desenvolvida pela Mercedes-Benz do Brasil, que é o Centro Mundial de Competência da Daimler para o desenvolvimento e a produção de chassis de ônibus”.

Novo superarticulado assegura maior rentabilidade operacional

Uma nova posição da captação de ar para o motor do veículo permitiu um maior aproveitamento de espaço interno, especialmente na parte traseira do ônibus. Juntamente com uma articulação robusta, isso possibilitou a configuração do salão de passageiros com 48 assentos, sendo um assento para cadeirante, e espaço para 175 pessoas em pé.


“Nosso novo superarticulado fará ainda mais diferença no mercado, oferecendo 10% de aumento no número de passageiros em relação ao O 500 MDA do atual portfólio, mantendo-se o mesmo comprimento total de 23 metros do veículo com apenas uma articulação”, diz Leoncini. “Ou seja, as empresas poderão transportar mais passageiros, otimizando a sua rentabilidade operacional, sem ocupar mais espaço nos corredores e faixas exclusivas do BRT e de outros sistemas, nos quais já tem uma imagem consolidada de eficiência, agilidade e conforto”.


De acordo com o executivo, esse novo produto reafirma o compromisso da Mercedes-Benz em sempre oferecer soluções para as novas demandas dos clientes e do mercado. “O transporte de massa e a mobilidade urbana são desafios cada vez mais presentes no dia a dia de órgãos gestores e de empresas operadoras. Nesse sentido, os superarticulados O 500 ganham cada vez mais espaço como soluções eficientes e rentáveis”, afirma Leoncini. “A resposta do mercado mostra que estamos na direção certa. Em três anos, já são mais de 1.000 unidades desse chassi vendidos no Brasil, sendo que 90% desse volume foram comercializados para a cidade de São Paulo”.


No BRT do Rio de Janeiro já são 245 articulados e superarticulados Mercedes-Benz em circulação pelos corredores, reafirmando o sucesso dos produtos da marca nos principais sistemas de transporte coletivo no Brasil.

Assessoria especializada para BRT e outros sistemas de transporte

Além da mais completa linha de ônibus, a Mercedes-Benz oferece ao mercado assessoria especializada em transporte de passageiros, por meio de uma equipe totalmente focada em sistemas como o BRT, apoiando clientes, órgãos gestores e consultorias. Como exemplo, os profissionais da área deram importante contribuição às etapas de construção e operação do BRT do Rio de Janeiro.


A Empresa tem conhecimento e experiência mundial e local para a implantação desse tipo de sistema. A marca está presente hoje nos principais BRTs no mundo, como os do Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Brasília e Curitiba no Brasil, Bogotá na Colômbia, Santiago do Chile, México, Turquia e África do Sul. Os sistemas destes países estão entre os que mais transportam passageiros por ônibus urbanos no mundo.

* Press Release/Mercedes-Benz do Brasil.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016